Outra Economia Acontece

Loading...

terça-feira, 22 de maio de 2007

I Seminário Nacional de Gênero, Economia e Desenvolvimento Local

DIARIO DO NORDESTE (19/5/2007)

Mulheres apontam saída

Mulheres mostram a força do empreendedorismo, através da economia solidária

A economia solidária é apontada como um dos melhores caminhos para a emancipação da mulher e conquista da igualdade de gêneros. Para discutir esse assunto e apresentar experiências de sucesso em todo o País, representantes de movimentos populares de vários estados brasileiros estão, desde ontem em Fortaleza, participando do I seminário Nacional de Gênero, Economia e Desenvolvimento Local.

Com enfoque principal na economia solidária praticada por mulheres, o encontro reforça a necessidade do desenvolvimento de políticas públicas que apoiem as mulheres, que se destacam como pequenas e micro empresárias ou artesãs.

Para ouvir as reivindicações das participantes e apresentar os programas já existentes, participaram da abertura do evento a coordenadora de políticas públicas para Mulheres da Prefeitura de Fortaleza, Maria da Penha, Vera Fernandes, da Funci, o secretário do Trabalho e Desenvolvimento Social do Estado, Arthur Bruto, além de representantes dos ministérios promotores do evento.

Na ocasião, a coordenadora da Marcha Nacional das Mulheres, Isolda Dantas, ressaltou a importância de construir um feminismo com toque de classe. “A economia solidária é a estratégia que as mulheres podem usar para romper com a cruel divisão do trabalho entre homens e mulheres. É um processo eficiente de transferência de emprego e renda com a presença das mulheres”, diz.

A representante da Secretaria Especial de Políticas Públicas para as Mulheres, Beth Pereira, lembrou ainda que é além de fomentar a economia solidária, o governo precisa ainda refletir sobre o lugar das mulheres na economia. “O que está acontecendo é que muitas trabalhadoras estão caindo na informalidade, ficando desprotegidas de direitos. É obrigação dos governos impedir que isso ocorra”, argumenta.

Maria da Penha, que deu nome à lei que protege as mulheres contra agressões dos maridos, esteve presente representando a Prefeitura de Fortaleza. “Devemos aproveitar esse momento porque será um terreno fértil para aprender. É oportunidade de produzir e multiplicar conhecimentos” , frisa.

Já Arthur Bruno, garantiu que as políticas públicas para o desenvolvimentos de micro e pequenas empresas, bem como o artesanato local, estarão entre os principais investimentos do governo estadual. “A economia solidária será prioridade neste governo”, destaca.

A iniciativa promove o fortalecimento da economia solidária, mediante políticas integradas, visando a geração de trabalho e renda, a inclusão social e a promoção do desenvolvimento justo e solidário.

O evento, que prossegue até amanhã na sede da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Ceará (Fetraece), é realizado pela Prefeitura de Fortaleza, Ministério do Meio Ambiente, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e Ministério do Trabalho e Emprego.

RENATA BENEVIDES
Repórter


Nenhum comentário: