Outra Economia Acontece

Loading...

quarta-feira, 29 de julho de 2009

UNISOL Brasil participa do Conselho de Desenvolvimento de Diadema

Cooperativas farão parte de Conselho de Desenvolvimento

Por: Deise Cavignato (deise@abcdmaior.com.br)

A economia solidária, por meio da Unisol Brasil (Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários do Brasil), fará parte da nova estrutura do Comdes (Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico e Social) de Diadema. A entidade, que deve ser constituída na primeira semana de agosto, é responsável por criar diálogos institucionais entre o poder público e a sociedade civil sobre a política de desenvolvimento.
Entre as principais atribuições do Comdes estão os programas de trabalho decente, o fomento da economia solidária e o cooperativismo. “Qualquer conselho tripartite que seja criado é importante para a sociedade e não conheço nenhum órgão neste formato na Região”, falou o presidente da Unisol, Arildo Lopes.
A Unisol Brasil trabalhará na perspectiva de fortalecer os empreendimentos de economia solidária e o cooperativismo no âmbito local. Na opinião de Arildo, Diadema tem políticas públicas bastante avançadas para a economia solidária, seja no cooperativismo, seja no associativismo. “É importante essa iniciativa porque vai gerar emprego, renda e tributos para o município”, afirmou o presidente da Unisol.
O secretário de Desenvolvimento Econômico e Trabalho de Diadema, Luis Paulo Bresciani, disse que esse tipo de debate depende da pauta e do contexto. “Este é um órgão deliberativo em relação às propostas e tem o caráter fortemente construtivo”, afirmou.
Mudança - A estrutura do Comdes era formada por 17 instituições. Agora serão 15. Saiu um membro do poder Executivo e um do Legislativo. “A mudança será uma releitura do conselho já existente. Vamos adequá-lo à nova realidade do desenvolvimento econômico local, regional e nacional”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico e Trabalho de Diadema.
Além da Unisol e do poder público, também farão parte do novo conselho o Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), ACE (Associação Comercial e Empresarial de Diadema), o Sebrae (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) e o Senai (Serviço Nacional de Aprendizado Industrial), além dos sindicatos dos Metalúrgicos do ABC, dos Químicos do ABC e dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de São Bernardo e Diadema.
De acordo com o segundo vice-diretor do Ciesp de Diadema, Donizete Duarte da Silva, o centro teve participação fundamental na mudança do conselho. “No fim do ano passado fizemos um comunicado aos candidatos a prefeito do município informando a importância do conselho e o Mário Reali (prefeito eleito de Diadema nas últimas eleições pelo PT) cumpriu a palavra e decidiu fazer as alterações que indicamos como necessárias”, explicou Donizete.
Terrenos industriais - Conforme o vice-diretor, o primeiro tema em pauta no Comdes deverá ser o plano de negociação para minimizar conflitos de diversos tipos de propriedades. Como exemplo, Silva citou os terrenos industriais que devem ter no entorno áreas de interesse econômico e não social como ocorre atualmente.
“Falta espaço para atividade econômica e a gente precisa criar condições para investir na ampliação e criar mais renda”, disse. Para isso, Donizete afirmou que é necessário melhorar a qualidade de formação no ensino médio para que os jovens possam ser tratados como profissionais desde a escola.

Nenhum comentário: