Outra Economia Acontece

Loading...

quinta-feira, 2 de abril de 2009

II Encontro Latino Americano de Empresas Recuperadas pelos Trabalhadores

II ENCONTRO LATINO AMERICANO DE EMPRESAS RECUPERADAS PELOS TRABALHADORES

25, 26 e 27 de Junho - Caracas - Venezuela

CONVOCATÓRIA

As ocupações de fábricas voltam ao cenário mundial. Na Argentina são centenas de novas ocupações, multina­cionais como a Mitsubishi são ocupa­das na Venezuela. Na Europa, nos EUA, no México, na Tailândia e em outros países da Ásia, mobiliza­ções ocorrem e os trabalhadores para defender seus postos de trabalho, seus direitos e sua dignidade, decidem ocu­par as fábricas.

O Movimento das Fábricas Ocu­padas e inúmeros sindicatos estão organizando delegações ao II Encon­tro Latino Americano de Fábricas Recuperadas por Trabalhadores, na Venezuela revolucionária. Abaixo a convocatória.Encontro Pan Americano na fábrica ocupada CIPLA. Na América Latina a resistên­cia contra a destruição da indústria e a defesa dos empregos assumiu diferentes formas.

A crítica e seus questionamentos formam parte da discussão do movimento operário e foram os objetos do debate do Pri­meiro Encontro Latino Americano de Empresas Recuperadas, realiza­do na Venezuela no dia 29 de outu­bro de 2005.

Dizíamos: “Eles fecham, nós abrimos as fábricas. Eles roubam as terras e nós ocupamos. Eles fazem guerras e destroem nações, nós defendemos a paz e a integração soberana dos povos. Eles di­videm e nós unimos. Porque somos a classe trabalhadora. Porque somos o presente e o futuro da humanidade”.

Hoje, mais ainda do que em 2005, a situação dos povos da América Latina nos impõe com mais força a necessidade de seguir construindo e aprofundando essa unidade. Não é nenhum presente a conjuntura polí­tica atual em nosso continente. São anos de levantes, resistências, pro­jetos e de muito trabalho por par­te dos trabalhadores para construir esta oportunidade histórica.Nosso movimento é anti-impe­rialista, anticapitalista.

É um grito e um movimento organizado da clas­se trabalhadora contra o regime de propriedade privada dos grandes meios de produção, que somente pode sobreviver fazendo guerras, explorando e oprimindo os povos.Sabemos que sempre existiram matizes na nossa América, e muitos governos atuais não são represen­tantes de nossos interesses, mas se apresenta uma conjuntura favorável para construir propostas, debater e colocar a marca dos trabalhadores nos assuntos que nos dizem respei­to.
Claro que não será fácil. Vimos, na Bolívia, como reagiram as classes dominantes ante a nacionalização dos recursos, ante o exercício da so­berania. Na Venezuela, que com seu avanço revolucionário na educação, na saúde, no campo, não deixa de incomodar a quem sempre viveu a custa do povo e de seus recursos. E assim, seguem produzindo mentiras através de seus meios, medo, fome. Mas apesar disso nem o povo ve­nezuelano nem o povo boliviano se enganaram, e re-elegeram Chávez e Evo.

Assim como Correa no Equa­dor, e, recentemente, no Paraguai, com a eleição de Lugo pelo povo.Convocamos todas as empresas recuperadas por seus trabalhadores e as organizações sociais em luta para o “II Encontro Latino Ame­ricano de Empresas Recuperadas pelos Trabalhadores” , unindo as lutas de nosso setor com o restante da classe trabalhadora e em apoio à luta pelo socialismo que vem sen­do realizada pelo povo boliviano e venezuelano apoiados pelos traba­lhadores de toda América Latina.

Convocamos todos a se somarem aos nossos esforços e nos reunir­mos nos dias 25, 26 e 27 de junho de 2009, em Caracas, Venezuela.

Viva a luta dos trabalhadores das empresas recuperadas!

Viva a luta da classe trabalhadora!Viva a revolução venezuelana!

Viva a revolução boliviana!

Venceremos!

Convocam: Comissão Organizadora do I Encontro Latino Americano de Fábricas Recuperadas por Trabalhadores – Caracas/2005 (Serge Goulart – Brasil; Eduardo Murua- Argentina; Liliana Pertuy – Uruguai)/ Frente Revolucionario de Trabajadores de Empresas en Cogestión y Ocupadas (FRETECO) – Venezuela/ Central Obrera Boliviana – COB/Federação Sindical dos Trabalhadores Mineiros da Bolívia – FSTMB/ Movimento Nacional de Empresas Recuperadas – MNER – Argentina/ Associação Nacional de Trabalhadores Autogestionados – ANTA\CTA- Argentina/ Central Unitária dos Trabalhadores (CUT– Autêntica) –Paraguai/ Coordenação de Empresas Recuperadas por Trabalhadores – Paraguai/ Movimento de Fábricas Ocupadas – Brasil

2 comentários:

Fábricas Ocupadas disse...

Companheiros,

Legal ajudarem na divulgação do encontro, este é um momento importante para esta reflexão...

Outra Economia disse...

com certeza, a resposta para essa crise produzida pelos capitalistas só poderá ser superada (trazendo conquistas para a classe trabalhadora) através da autoorganização dos trabalhadores e trabalhadoras...
se tiver outras atividades que versam sobre experiências de auoorganização operária é só enviar que divulgo...
abs